JESUS CRISTO VOLTARÁ.

POR MAIS LONGA E ESCURA E TENEBROSA A NOITE, NÃO TE DESESPERE O SOL VOLTARÁ A BRILHAR. POR MAIS DIFÍCIL A BATALHA NÃO TE DESESPERE JESUS CRISTO QUER TE DAR A VITÓRIA, SE ATENTAMENTE OUVIRES A VOZ DO SENHOR TEU DEUS E OBEDECER, O SENHOR TEU DEUS TE EXALTARÁ SOBRE TODAS AS NAÇÕES, ESTÁ DIFÍCIL VENCER A BATALHA, NÃO TEMAS SEJA OBEDIENTE A DEUS E A VITÓRIA É SUA. MAIS, NÃO ESQUEÇA JESUS CRISTO ESTÁ VOLTANDO ESTÁ PRONTO PARA SUA VOLTA. OS SINAIS ESTÃO SE CUMPRINDO, NÃO SEJA PEGO NU, PORQUE NÃO SERÁS ARREBATADO. A QUEM ESTÁ SEGUINDO, O MUNDO OU A JESUS CRISTO.

sábado, 25 de outubro de 2014

NÃO FAÇA DO SEU VOTO UMA ARMA A VÍTIMA É VOCÊ MESMO!!!!!!!!!!!!

JESUS CRISTO.

    NÃO FAÇA DO SEU VOTO UMA ARMA A VÍTIMA É VOCÊ MESMO!!!!!!!!!!!!
   "E, por haverem desprezado o conhecimento de DEUS, o próprio DEUS os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem coisas inconvenientes, cheios de toda injustiça, malícia, avareza e maldade, possuídos de inveja, homicídio, contenda, dolo e malignidade; sendo difamadores, caluniadores, aborrecidos de DEUS, insolentes, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais, insensatos, pérfidos, sem afeição natural e sem misericórdia. Ora, conhecendo eles a sentença de DEUS, de que são passíveis de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que assim procedem. Romanos 1.28-32".
   "Andarão dois juntos, se não houver entre eles acordo? Amós. 3.3".

   A cada quatro anos temos uma responsabilidade de escolhermos os nossos representantes. Presidente, Senadores, Deputados estaduais e federais, Governadores, Prefeitos e Vereadores. temos que ter a consciência que nós cidadãos somos os patrões e eles nos representa nos cargos que a maioria os aprovam.
   Temos que nos conscientizar-nos que eles estão nos cargos aos quais escolhemos para eles nos representar e que a partir do momento que votamos neles assinamos um documento em branco para que eles possam administrar e tomar qualquer decisão em nosso nome.
   Portanto temos que lembrar que o dinheiro aos quais eles irão administrar não é só deles, mais sim de toda a nação, os impostos aos quais pagamos tem que ser distribuído para as necessidades da nação e não para interesses próprios, quando acontece desvio de dinheiro da saúde, educação, transporte, segurança vidas serão eliminadas por falta de recursos para os suprir as necessidades.
   o Brasil ou um pais é uma empresa ao qual os donos são todos os que fazem parte da comunidade, ou seja todo cidadão que compra ou vende mercadorias de consumo humano são pagadores de impostos e portanto são sócios majoritários, e portanto nenhum político tem mais direito sobre o dinheiro dos impostos mais do que qualquer cidadão, todos tem direito iguais a diferença é que eles estão trabalhando para a aplicação destas verbas para o bem estar de uma nação ou o Brasil. 
   a importância de um voto que muitos não dão a devida importância é muito complexo e de suma importância, porque é conviver quatro anos com o peso de uma escolha errada, ou ser abençoado quatro anos de uma escolha certa. Devemos analisar o perfil e o caráter da pessoa a ser escolhida, afinal estamos entregando nas mãos desta pessoa um cheque em branco assinado para ele usar. Se tem caráter e temor a DEUS com certeza fará o que é correto, se não tem caráter e temor a DEUS você estará entregando nas mãos de bandidos para administrar os teus bens e conduzir o destino da nação.
  A escolha diante dos homens tem as consequências carnais, e serão respondidas nos tribunais dos homens, mas o voto é algo tão grandioso que não temos a noção da importância diante de DEUS, uma vez que votamos em um candidato nós transferimos para ele a nossa palavra e a responsabilidade de nos representar diante dos poderes, e automaticamente assumimos diante de DEUS o compromisso destes serem nosso representante, portanto, tudo que eles fizerem seremos coniventes com eles. Se roubarem ou desviar verbas e através destes desvio muitos morrerem a responsabilidade por estas mortes e sofrimento de todos que forem afetados, nós sofreremos juntos.
   Portanto devemos buscar a DEUS para que Ele venha a nos orientar qual o melhor candidato a ser votado, desde o momento em que escolhemos sem consultar a DEUS, Ele não poderá agir contrariando a nossa escolha, porque a nossa vida é repleta de escolha, e colheremos os frutos do que semeamos, cada povo tem o governo que merece. DEUS não obriga ninguém a fazer o que ele não quer, a escolha é sua, a decisão é sua, portanto sofreremos as consequências de nossas escolhas. Sem consultar a DEUS pereceremos.
   
   DIÁCONO: LUIS MARIANO SIQUEIRA.
   SALGUEIRO - PE 25/10/2014.       


sexta-feira, 12 de setembro de 2014

A DEFINIÇÃO DA INTELIGÊNCIA: O HOMO SAPIENS, UM SER ALÉM DOS LIMITES DA LÓGICA. CAPÍTULO 1

JESUS CRISTO.


   A DEFINIÇÃO DA INTELIGÊNCIA: O HOMO SAPIENS, UM SER ALÉM DOS LIMITES DA LÓGICA. CAPÍTULO 1

   "Filho meu, não te esqueças dos meus ensinos, e o teu coração guarde os meus mandamentos; porque eles aumentarão os teus dias e te acrescentarão anos de vida e paz. Não te desemparem a benignidade e a fidelidade; ata-as ao pescoço; escreve-as na tábua do teu coração e acharás graça e boa compreensão diante de DEUS e dos homens. Confia no SENHOR de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e Ele endireitará as tuas veredas. Não sejas sábio aos teus próprios olhos; teme ao SENHOR e aparta-te do mal; será isto saúde para teu corpo e refrigério, para os teus ossos. Provérbios 3.1-8"

   As Três Grandes Áreas Que Definem a Inteligência.

   Ao definir o sentido da inteligência gostaria que o leitor não acostumado a esses conceitos não desanimasse. Será uma sintética exposição. para a psicologia Multifocal a definição de inteligência é abrangente e como o próprio nome da teoria diz, é multifocal, multidinâmica, multifatorial. Alguns autores também sugeriram que a inteligência é multidimensional e modificável (Feurstein, 1980). O conceito global de inteligência entra em três grandes estágios ou três grandes áreas. As duas primeiras são inconscientes e a última, consciente.
   A primeira área é mais profunda, refere-se aos fenômenos inconscientes que atuam em milésimos de segundos no resgate e na organização das informações da memória e consequentemente na construção de pensamentos e emoções. Essa produção é registrada  milhares de vezes por dia pelo fenômeno RAM (REGISTRO AUTOMÁTICO DA MEMÓRIA), construindo a plataforma que forma o EU, que é a expressão máxima da consciência crítica e capacidade de escolha. tudo o que percebemos, sentimos, pensamos, experimentamos, tornam-se tijolos na construção dessa plataforma da formação do EU.
   A segunda área se refere ao corpo das complexas variáveis que influenciam em pequenas frações de segundos os fenômenos que leem a memória e produzem os pensamentos, imagens mentais, ideias e fantasias. Entre essas variáveis "como estou" (estado emocional motivacional), "quem sou" (a existencial arquivada nas janelas da memória), "onde estou" (ambiente social), "quem sou geneticamente" (natureza genética e a matriz metabólica cerebral) e o "como atuo como gestor da psique" (o EU como diretor do roteiro de nossa história).
   Normalmente, as teorias enfatizam os aspectos psíquicos, sociais e genéticos na construção da inteligência. Alguns pensadores se fixaram na interação entre as duas grandes forças geradoras de desenvolvimento em geral, e da inteligência em particular, a natureza e a cultura. "Não é uma competição, é uma dança" (Sternterg 1990). Sim, de fato há uma dança dinâmica de variáveis, mas que ultrapassa essas duas grandes forças geradoras.
   Como vimos, além da variável genética e cultural estão, em primeiro plano, as variáveis "como atuo como gestor do psiquismo" e o "grau de abertura das janelas da memória" determinado pelos estados emocionais (alegria, tranquilidade, humor depressivo, ansiedade). Ao estudar esses outros fatores descobrimos que a mente é mais complexa do que imaginamos.
   Por exemplo, pensávamos no passado que somente quem teve uma infância com traumas, saturada de perdas e frustrações adoeceria, desenvolveria transtornos psíquicos e psicossomáticos. Pobre engano! Sabemos hoje que mesmo os que gozaram de uma infância feliz e sem traumas, que tiveram o privilégio de ter país amorosos, generosos, solidários, podem ter uma vida psíquica miserável na adolescência e na vida adulta se não aprenderem a decifrar alguns códigos fundamentais ao longo do processo de formação da personalidade.
   Poderão ser vítimas dos estresses financeiros, estresses existenciais, perdas, competição predatória, frustrações, preocupações excessivas; enfim, de uma série de variáveis que dilapidam seu patrimônio psíquico, em especial seu prazer de viver.
   Outro exemplo: Acreditamos ingenuamente que temos pleno domínio do processo de construção de pensamentos, idéias, imagens mentais. Não é verdade. Podemos dominar computadores, carros, aviões, mas não temos o domínio completo da mais incompreensível das máquinas: A mente humana. Quantos pensamentos inquietantes perturbam nossa tranquilidade sem que os tenhamos produzido conscientemente? quantas ideias fóbicas transitam pelo palco psíquico sem que tenhamos permitido que fossem construídas pela vontade consciente?
    O EU como gestor psíquico, administrador do intelecto, é apenas um dos códigos da inteligência. Se mesmo sendo um bom gestor psíquico não dominamos completamente os pensamentos e as emoções da complexa mente humana, imagine se não decifrarmos esse código, imagine se abrirmos mão dessa gestão que ocorre nessa segunda grande área da inteligência.
   Nesse caso, se usarmos um veículo como uma analogia da mente humana, podemos dizer que somos amordaçados no banco do passageiro como espectadores passivos de uma viagem que não programamos. Aliás, diariamente milhões de pessoas viajam em suas mentes no território das fobias, das preocupações doentias, da ansiedade, sem ter programado essa viagem. Entraram em um filme de terror que não queriam assistir. O dramático é que o filme roda na sua mente. Não há tecla para desligar o aparelho mental.
   Ao estudarmos a primeira e segunda grande área da inteligência podemos concluir que HOMO SAPIENS, capaz de desenvolver equações matemáticas, fórmulas físicas e lógicos programas de computador, pode ser tão ilógicos a ponto de produzir reações agressivas, desproporcionais, irracionais.
   Peritos em lidar com números podem perder sua lógica e reagir estupidamente a mínima contrariedade. Médicos aparentemente dosados diante de seus pacientes, podem reagir sem qualquer controle ao serem questionados por seus pares. Na realidade, o HOMO SAPIENS, seja ele um psiquiatra ou paciente, matemático ou aluno, é micro ou macro de acordo com cada momento existencial. Ninguém é plenamente estável e coerente. O nível de flutuação apenas determina o grau de nossas doenças.
   A terceira grande área da inteligência se refere aos resultados das duas primeiras áreas. Nessa área se encontram os comportamentos perceptíveis, capazes de serem analisados, avaliados, aferidos. Nessa área se evidencia a rapidez de raciocínio, o grau de memorização, a capacidade de assimilação de informações, o nível de maturidade nos focos de tensão, bem como os patamares de tolerância, inclusão, solidariedade, generosidade, altruísmo, segurança, timidez e empreendedorismo.
   Na terceira área da inteligência, segundo o conceito da Psicologia multifocal, é que são feitos os mais variados testes para se medir os mais diversos tipos de quocientes de inteligência. Entretanto, todos os testes são circunstanciais, parciais e incompletos. Nenhum deles é definitivos. Habilidades que são detectadas em uns, não são em outros. Capacidades que são aferidas em um momento, se mudamos as variáveis (como estou, onde estou, níveis de gestão psíquica), não são aferidas em outros.
   Não vou entrar em muitos detalhes teóricos, mas gostaria de dizer que os códigos da inteligência envolvem três áreas. Decifrá-los e aplicá-los são processos, conscientes, mas ao fazer esse exercício atingiremos as regiões inconscientes, as camadas mais profundas da inteligência humana, ainda que não percebamos.
   destacarei oito códigos da inteligência mais relevantes. grande parte do que a imprensa escreve é texto de auto-ajuda, orientação para os leitores fazerem suas escolhas, apesar de alguns jornalistas não admitirem e nem gostarem dessa linha literária.
   Meu objetivo é disponibilizar ferramentas para estimular o debate de idias, para que os leitores aprendam a atuar em seu psiquismo, a desenvolver consciência crítica, proteger sua emoção, tornaram-se gestores da sua mente e serem capazes de expandir seu potencial intelectual e prevenir transtornos psíquicos.
                Musculatura Intelectual e  emocional
   Sem decifrar os códigos da inteligência, não temos musculatura emocional para irrigar o desenvolvimento da serenidade, do altruísmo, da coerência, da ousadia e criatividade. Os que expandem sua saúde´psíquica, refinam seu prazer de viver e libertam seu imaginário criativo, não são os que fazem da sua memória um depósito infindável de informações, mas os que submetem aos mais disciplinados treinamentos intelectuais para decifrar os códigos da inteligência, ainda que o façam intuitivamente, sem nenhuma metodologia educacional.
   Eis o grande e inaceitável paradoxo: "O homem sapins, aprendeu ao longo da história, aprendeu a decifrar sua inteligência para atuar no teatro social, mas não aprendeu a decifrá-la para atuar no teatro psíquico, gerir sua peça intelectual. Somos tímidos espectadores onde deveríamos ser ágeis atores.
   Diariamente inúmeras pessoas ricas ou miseráveis, nas mais diversas sociedades, são vítimas de agressivos sequestros. Os sequestradores estão alojados dentro de si. vivem sequestrados pelas imagens deprimentes e pelos pensamentos mórbidos clandestinamente em seu psiquismo. É raríssimo encontrar um ser humano verdadeiramente livre. ainda não encontrei.
   somos frequentemente inertes, calados e silenciados no único lugar que deveríamos gritar e nos rebelar. distribuímos um sorriso social que nem sempre espelha nosso clima emocional.
                 Exemplos Imaginários, Não tão reais
   Imagine um promotor austero e coerente em seu fórum, mas frágil e ilógico em sua psique. demora horas ou dias para tomar decisões que qualquer um demoraria minutos, como comprar certa roupa, visitar um amigo, fazer uma viagem. Angustia-se e pune-se porque não decide coisas básicas. Não aprendeu a decifrar, entre outros códigos, o da autocrítica.
   Imagine uma enfermeira cuidando carinhosamente de seus pacientes em fase terminal, mas sendo péssima no cuidado de si mesma. Diariamente pensa que está com câncer e as portas da morte, só que seu câncer é imaginário, só existe como fantasia. faz assepsia dos curativos com a dedicação e irriga seus pacientes com esperança, mesmo que estejam a beira da morte, mas não dá migalhas de esperança para si mesma, ainda que esteja supostamente distante de morrer. Não aprendeu a fazer assepsia em sua mente, não aprendeu a decifrar o código da higiene psíquica.
   Imagine um estudante aplicado e participativo em sala de aula, mas quando está diante da prova escolar embora seu raciocínio. sabe toda matéria, mas parece que não estudou nada. As janelas da sua memória se fecharam, pois o ato de fazer a prova se tornou um ato de terror, que trava sua inteligência. Não aprendeu a decifrar o código da proteção da emoção.
   Situações como essas estão mais próximas de nós do que imaginamos. As pessoas que descrevi são especiais em determinadas áreas, mas falham muito em outras, não entenderam que seus maiores inimigos estão em sua mente e não no teatro social. podemos conviver com pessoas injustas, mas ninguém pode ser mais injusta conosco do que nós mesmos.
   Deveríamos lutar contra nossas mazelas psíquicas, mas nos intimidamos dentro de nós. E fora de nós, onde deveríamos agir com tolerância, nos tornamos combativos, machucamos quem não merece. Vivendo em uma sociedade superficial que não calibra nosso foco, erramos o alvo frequentemente.   

DIÁCONO: LUIS MARIANO SIQUEIRA.
LIVROS: O CÓDIGO DA INTELIGÊNCIA
CAPÍTULO 1
AUGUSTO CURY
SALGUEIRO-PE 12/09/2014

sexta-feira, 27 de junho de 2014

JESUS CRISTO.




TREINANDO O INTELECTO PARA DECIFRAR OS CÓDIGOS DA INTELIGÊNCIA


   "Certamente, a Palavra da cruz é loucura para os que se perdem. mas para nós, que somos salvos, poder de DEUS. Pois está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios e aniquilarei a inteligência dos instruídos. Onde está o Sábio? Onde, o escriba? Onde, o inquiridor deste século? Porventura, não tornou DEUS louca a sabedoria do mundo? Visto como, na sabedoria de DEUS, o mundo não o conheceu por sua própria sabedoria, aprouve a DEUS salvar os que creem pela loucura da pregação. Porque tanto os judeus pedem sinais, como os gregos buscam sabedoria; mas nós pregamos a CRISTO crucificado, escândalo para os judeus, loucura para os gentios; mas para os que foram chamados, tanto judeus  como gregos, pregamos a CRISTO, poder de DEUS e sabedoria de DEUS. Porque a loucura de DEUS é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de DEUS é mais forte do que os homens. 1 Coríntios 1.18-25".

   Tito, o general romano, encarregado de construir o Coliseu, sentia orgulho porque o exército romano era o único que se preparava para a guerra em tempos de paz, que treinava seus soldados durante todo o ano. era eficiente. Com seu exército, ele devastou Jerusalém no ano de 70 d.C., causando atrocidades inimagináveis, levando dezenas de milhares de cativos a Roma. Em meio as lágrimas e ao sangue de seus cativos, o grande general construiu monumentos que até hoje estão de pé.
   O treinamento que antes atingia os exércitos e algumas poucas áreas da sociedade, hoje permeia todos setores. Estamos na era do treinamento. Treina-se para praticar esportes, andar, dançar, calcular, escrever, contar histórias, encher uma peça. Treina-se para dirigir veículos, pilotar aviões, operar máquinas. Treina-se para falar em público, usar computadores, fazer programas, administrar empresas, executar projetos. Treina-se para tomar vinho, apreciar uma obra de arte, observar a qualidade dos produtos.
   Entretanto, quando tudo parecia perfeito na era do treinamento, eis que ao olhar para as mazelas psíquicas e sociais das sociedades modernas contatamos que cometemos um gravíssimo erro histórico. Esquecemos de realizar o mais importante treinamento, o treinamento para decifrar e aplicar os códigos da inteligência. Sem eles não podemos desenvolver nosso imaginário, nossa capacidade de superação das intempéries e nossas potencialidades intelectuais.

   Memória superutilizada e códigos da inteligência subtilizados.

   Deveríamos decifrar esses códigos com a mesma energia que o garimpeiro penetra nas rochas a procura do ouro, com o mesmo afinco que o cirurgião rebate a pele para desnudar tecidos ocultos, com a mesma garra que o sedento procura água para saciar sua sede nos tópicos desertos.
   O senso comum acredita falsamente que sua memória é subutilizada. Uns creem que usam 10%, outros 20% e ainda outros um pouco mais da sua memória. Mas esse pensamento popular é ingênuo, simplista e, portanto, precisa de correções. A memória é seletiva. Além disso, abre e fecha dependendo da emoção que estamos vivenciando em determinado momento existencial.
   As emoções tensas, fóbicas, apreensivas, fecham as janelas da memória; as emoções prazerosas, desafiadoras, serenas, as abrem. Apesar de as emoções serenas abrirem as janelas, a memória, ainda assim é seletiva, não abre todos seus arquivos.
   Já pensou se a memória não fosse seletiva? qualquer palavra como "carro", "avião", "amigo", "medo" nos levaria a acessar milhões de dados que temos arquivados relativos a ela, saturando nosso intelecto. Nosso córtex cerebral não suportaria um turbilhão de dados. Notem que quando estamos com preocupações fixas, pensando obsessivamente em determinado assunto, ficamos desgastados, acordamos fatigados, sem energia.
   A seletividade da memória objetiva protege nossa mente contra o congestionamento de pensamentos, imagens mentais e idéias. Apesar disso, se observarmos nossa mente, provavelmente a maioria de nós perceberá que utiliza excessivamente a memória, por isso pensa excessivamente e se desgasta também excessivamente, gerando a Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA).
   Emoções flutuantes, pensamentos antecipatório, excesso de compromissos, fazem parte do cardápio de uma pessoa hiper pensante. Se as pessoas usassem mais racionalmente sua memória, desgastariam menos seu cérebro, acordariam mais dispostas, elogiariam mais o dia que desabrocha, criariam mais oportunidades para conquistar quem amam, para ter gestos únicos, reações inesperadas, atitudes deslumbrantes.
   A memória que já é seletiva pode ser ainda mais bloqueada pelo estresse intenso, que por sua vez bloqueia o Código da Intuição Criativa, fazendo com que o HOMO BIOS, o instinto prevaleça sobre o HOMO SAPIENS, a capacidade de pensar.
   O estresse pode fechar as janelas da memória em concursos, entrevistas, apresentações públicas, situações novas, desafios empresariais, gerando péssimos desempenhos intelectuais em pessoas brilhantes.
   Executando mecanismos como esses, que nos fazem subutilizar a memória, o que está subutilizando em todo e qualquer ser humano são os Códigos da Inteligência. Ricos e miseráveis, psiquiatras e pacientes, líderes empresariais e liderados, têm, por melhor que sejam, um potencial psíquico global contraído por não decifrar plenamente os códigos da inteligência.
   
   A COMPLEXA DEFINIÇÃO DA INTELIGÊNCIA: TRÊS CAMADAS PSÍQUICAS.

   Antes de começar a comentar sobre os códigos da inteligência precisamos definir o que é inteligência. Previamente quero dizer humildemente (Augusto Cury) que desenvolvi ao longo de mais de vinte anos uma das poucas teorias mundiais sobre o funcionamento da mente, a construção de pensamentos e o processo de formação de pensadores, chamada de inteligência Multifocal ou Psicologia Multifocal
   A Psicologia Multifocal não é uma teoria neurocientífica, mas psicológica e que entra no campo da pedagogia, sociologia, filosofia. A inteligência para essa teoria tem definição complexa e difere de outras teorias em diversos aspectos, pois penetra em áreas que outros autores não tiveram oportunidade de estudar, como os fenômenos que atuam em frações de segundos na construção das cadeias de pensamentos, imagens mentais, idéias. Mas em hipótese alguma minha teoria é melhor do que a dos brilhantes autores consagrados, como Freud, Jung, Gardner, Morin, Piaget, vigotsky.
   A Psicologia Multifocal tem sido usada por inúmeros profissionais de saúde mental e em pesquisas, em teses de mestrado e doutorado e curso de pós-graduação. Apesar da difusão da teoria, quero deixar claro que nenhuma teoria é verdadeira em si. Ela é um corpo de postulados, hipóteses, conceitos, argumentos, dos quais se derivam os conhecimentos.  
     
   DIÁCONO: LUIS MARIANO SIQUEIRA
   LIVRO: O CÓDIGO DA INTELIGÊNCIA -  AUGUSTO CURY
   SALGUEIRO - PERNAMBUCO 27/06/2014